ORADORES

Carina Gomes

Vereadora da Cultura e Turismo da Câmara Municipal de Coimbra

Investigadora do Centro de Estudos Sociais, desde 2008, no Núcleo de Estudos sobre Cidades, Culturas e Arquitetura e Docente da Universidade Católica Portuguesa, em Viseu, entre 2008 e 2013.
Doutorou-se em Sociologia, no programa “Cidades e Culturas Urbanas”, da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, com a tese “Cidades e Imaginários Turísticos: Um estudo sobre quatro cidades médias da Península Ibérica”.
É coautora das obras “Atlas Cultural da Região Centro” (DRCC, 2011) e “A Cidade e o Turismo: dinâmicas e desafios do turismo urbano em Coimbra” (Almedina, 2012). Ao longo dos últimos anos, participou em vários projetos de investigação e publicou diversos textos sobre as temáticas da cultura e do turismo na cidade de Coimbra.  

Ana Paula Pais


Directora Coordenadora no Turismo de Portugal

Ana Paula Pais, atualmente Diretora Coordendadora da Direção de Formação do Turismo de Portugal, foi Diretora da Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra e Presidente da Associação Europeia de Escolas de Hotelaria e Turismo, da qual é atualmente Vice-presidente. Foi Diretora Inter-Institucional da Pós-Graduação em Gestão Turística e Hoteleira e Coordenadora da Licenciatura em Gastronomia, desenvolvida em parceria com o Instituto Politécnico de Coimbra.

É Licenciada em Geologia pela Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, tem um Mestrado em Gestão, pelo Departamento de Economia e Gestão da Universidade de Aveiro. Tem Mini-MBA, pelo Hospitality Management Institute (TP/ISCTE), uma Pós-Graduação em Gestão da Informação nas Organizações, pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, um Curso de Gestão de Recursos Humanos, pela «ESADE – Escuela Superior de Administración e Dirección de Empresas» de Barcelona e um Curso de Formação em Gestão Pública – FORGEP, pelo INA – Instituto Nacional de Administração.

Príncipe Louis-Albert de Broglie

Nasceu em Paris a 15 de Março de 1963, filho mais novo do duque de Broglie, O título de príncipe foi recebido de Francisco I da Áustria, no século XVIII, pelos serviços militares prestados pelos Broglie à França e à Áustria, na guerra contra a Prússia e é irmão do duque com o mesmo nome, título este concedido, no século XVII, pelo rei Louis XV e usado pelo chefe da família.

Formado em Gestão esteve sete anos ao serviço do BNP Paribas, a maior parte do tempo trabalhando na avaliação de unidades hoteleiras e na conversão de dívida em capital.

Criou, com um padre indiano, uma associação de apoio às crianças leprosas, com uma escola e um centro médico, nos arredores de Nova Deli a Nayee Asha, que significa Nova Esperança. 

Aos 29 anos demite-se do banco e investe o que tem no seu novo castelo, La Bourdaisière. Dedicou-se à reconstrução, à descoberta do espaço, ao regresso à terra. Estabeleceu contacto com guardiões de sementes antigas e começou a plantar. Hoje, tem mais de 650 espécies de tomate. La Bourdaisière foi declarado Conservatório Nacional do Tomate.

A par da aposta nos jardins, na horta e na quintinha, também lançou, com igual sucesso, a marca Prince Jardinier (Príncipe Jardineiro).

Adaptado In revista Visão 13.06.2018

António Gomes Martins

António Gomes Martins licenciou-se em Engenharia Electrotécnica, na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), em 1976, onde é agora Professor Catedrático.

Dirigiu o Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores (INESC) Coimbra entre 1999 e 2003. Foi Vice-Reitor da Universidade de Coimbra entre 2003 e 2011, tendo tido responsabilidade pelas áreas da Gestão Administrativa, Gestão Financeira, Gestão de Recursos Humanos, Gestão Académica e pela área da Investigação Científica, supervisionando ainda as áreas das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), das bibliotecas e do planeamento institucional. Foi responsável institucional por duas reorganizações administrativas da UC, em 2003 e 2010. Foi ainda Director do Instituto de Investigação Interdisciplinar da Universidade de Coimbra (IIIUC).

Saúl António Gomes

É professor associado com agregação do Departamento de História da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Tem vindo a privilegiar, na sua investigação, o estudo do universo religioso medieval e moderno português, particularmente o mundo monástico, bem como temas relativos ao Portugal tardo-medieval, à história local da região de Leiria e às esferas da Codicologia, da Diplomática e da Sigilografia.

Fernando Taveira da Fonseca

Professor Associado da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e Presidente do Instituto de História Económica e Social. É ainda Secretário da Direção da História da Universidade em Portugal, obra coletiva em vias de publicação, e Membro da Comissão Científica da Candidatura da Universidade de Coimbra a Património Mundial da UNESCO. Foi Vogal do Conselho Diretivo da Faculdade de Letras.

Os seus interesses de investigação centram-se na história económica e social (Época Moderna), história das universidades e história da educação. Destacam-se, entre outras publicações: “A Universidade de Coimbra (1700-1771). Estudo social e económico”, dissertação de doutoramento apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, Coimbra, 1992. Coimbra, Por Ordem da Universidade, 1995; “As Finanças”; “Os corpos académicos e os servidores: professores; estudantes, funcionários; o governo da Universidade”; “A Teologia”; “A Medicina”; “O saber universitário e os universitários no Ultramar”, capítulos da História da Universidade em Portugal, vol. I, 2ª parte (1537-1772), Coimbra-Lisboa,  entre outros. 

ROSÁRIO MORUJÃO

Doutora em História da Idade Média pela Universidade de Coimbra. Professora Auxiliar do Departamento de História, Estudos Europeus, Arqueologia e Artes da Faculdade de Letras dessa mesma Universidade. Investigadora integrada do Centro de História da Sociedade e da Cultura dessa Faculdade (CHSC-FLUC) e colaboradora do Centro de Estudos de História Religiosa da Universidade Católica Portuguesa (CEHR-UCP). Membro de diversos organismos científicos nacionais e internacionais, Tem múltiplos trabalhos publicados, em Portugal e no estrangeiro, entre livros, partes de livros, actas de reuniões científicas e artigos de revistas. Principais interesses científicos: história religiosa e social medieval; sigilografia; diplomática; paleografia; edição de fontes; codicologia; história do livro.

Sebastian Frankenberger

Born in 1981, is known as the initiator of the referendum for non smoking protection in Bavaria. In the Catholic Church, is involved as crisis intervention priest and organizer of light installations. Sebastian is the national chairman of the Ecological Democratic Party (ÖDP) and councilor in the city parliament of Passau. In addition, runs a company (StadtLux) for theater-costume guided tours in Austria and at the moment is more engaged with travel guiding in Austria, Germany as well as Czech Republic. Lives in Passau Bavaria

Isabel Drumond Braga

Professora auxiliar com agregação da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, na área de História, onde leciona desde 1990. Foi professora visitante na Universidade Federal Fluminense (Brasil) de agosto a dezembro de 2009, na Università di Catania (Itália), em julho de 2011, na Universidade Federal da Uberlândia (Brasil), em novembro de 2013, e na Universidade Estadual de Londrina (Brasil), em agosto de 2015.

É professora do programa Erasmus Plus, na Università degli Studi della Tuscia (Viterbo-Itália), desde 2007 e da Università degli Studi Internazionali di Roma (UNINT- FIT), desde 2016. Tem desenvolvido investigação e lecionado nas áreas de História Social, História de Género, História Cultural e História das Práticas do Quotidiano, em especial História da Alimentação, das épocas Moderna e Contemporânea. Membro de diversos projetos de investigação em Portugal, Espanha e Brasil, do qual se destaca, no presente âmbito, o projeto DIAITA: Património Alimentar da Lusofonia.

Orientadora de projetos de pós-doutoramento, doutoramento e mestrado, nas áreas História da Inquisição, da História das Práticas Culturais e da História da Alimentação. Neste último âmbito tem trabalhado sobre produtos (doces, gelados, peixe e diversos produtos provenientes do continente americano, caso do cacau, batata, milho, peru…); receituários (de origem leiga e conventual, designadamente, e de entre outros, de autores como Domingos Rodrigues, Francisco Borges Henriques, frei Manuel de Santa Teresa, Rosa Maria, e de autores de colunas de receitas culinárias publicadas em revistas), literatura (provérbios e autores como Armando Ferreira), dietética e gastronomia (dietas alimentares das minorias, vegetarianismo em Portugal, gastronomia e turismo), sem esquecer a história dos menus e da sociabilidade e etiqueta à mesa, a publicidade alimentar e a economia doméstica.

Alguns trabalhos disponíveis online: https://lisboa.academia.edu/IsabelDrumondBraga

Nuno Rosmaninho

Universidade de Aveiro (Professor Associado com agregação)

Nuno Rosmaninho nasceu em 1964 e é professor associado com agregação do Departamento de Línguas e Culturas da Universidade de Aveiro, para onde entrou como assistente estagiário em 1991. Licenciado em História, variante de História da Arte, pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (1987), onde também realizou o mestrado em História Contemporânea de Portugal, com uma tese intitulada Historiografia Artística Portuguesa: De Raczynski ao dealbar do Estado Novo (1993), e o doutoramento, intitulado O Poder da Arte. O Estado Novo e a Cidade Universitária de Coimbra (2002), publicado pela Imprensa da Universidade de Coimbra em 2006. Em 2014, realizou provas de agregação em Estudos Culturais na Universidade de Aveiro, apresentando um relatório da unidade curricular de Identidade Artística Portuguesa e uma lição subordinada ao título A Deriva Nacional da Arte. Portugal, séculos XIX-XXI.

António Gouveia

Doutorado em Biologia, especialidade em Ecologia, em 2007, pela Universidade de Coimbra, com trabalho em ecologia do sobreiro e gestão do ecossistema de montado. Os seus interesses de investigação abrangem a diversidade e ecologia das plantas e a história e comunicação da ciência. Lecciona a título convidado no Mestrado de Engenharia do Ambiente e no Doutoramento em História das Ciências e Educação Científica, ambos da UC e, na disciplina “Museus, Investigação e Ensino”, do Mestrado em História – especialização em Museologia.

De 2011 a 2014, coordenou o projecto “No Trilho dos Naturalistas”, financiado pela Agência de Cultura Científica – Ciência Viva/COMPETE, de investigação e produção de conteúdos para os meios de comunicação social sobre a ligação da UC aos estudos botânicos nas ex- colónias portuguesas em África, e a ecologia e a biodiversidade tropical de Angola, Moçambique e São Tomé e Príncipe, do qual resultou uma série documental de quatro episódios de 52’’, com exibição na RTP2, RTP África e RTP Internacional, em parceria com o jornal Público e ampla divulgação mediática. Prepara actualmente a segunda temporada desta série documental, com o título “No trilho dos naturalistas: Arquipélagos”.

É investigador da Cátedra UNESCO em Biodiversidade e Conservação para o Desenvolvimento Sustentável e director do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra.

Ana Alcoforado

Estudou História na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e foi conservadora responsável pelas coleções de Escultura e Mobiliário, do Museu Nacional de Machado de Castro. Especializou-se em Gestão da Administração Pública e é autora de diversas publicações relativas às coleções do Museu e outras publicações especializadas, incluindo a obra Frei Cipriano da Cruz em Coimbra (Coimbra, 2003) da qual é co-autora. Participou, como investigadora e/ou comissária, na produção de diversas exposições, na conceção de guiões e de catálogos e outro material de divulgação. Realizou ações de formação e comunicações, no âmbito da História da Arte (arquitetura e escultura) da Museologia e da Gestão do Património. 
Atualmente é diretora do Museu Nacional de Machado de Castro. A sua direção no Museu tem-se pautado, entre outros, pela promoção e desenvolvimento de projetos de inclusão, física, intelectual e social. O projeto “Avós do Museu” é exemplo dessas preocupações sociais e culturais.

José Bernardes

JOSÉ AUGUSTO CARDOSO BERNARDES (n. 1958) é Professor Catedrático da Faculdade de Letras de Coimbra e Diretor da Biblioteca Geral da Universidade. Efetuou todo o seu percurso académico na Universidade de Coimbra: Licenciatura em Línguas e Literaturas Modernas, Português e Francês (1980), Mestre em Literatura Portuguesa (1985), Doutor em Literatura Portuguesa (1995) e Agregado (2003). Foi Presidente do Conselho Científico da sua Faculdade (2004-2007) e Membro eleito do Conselho Geral da Universidade (2008-2012). É atualmente membro do Conselho Nacional de Educação.
Foi Professor Visitante nas Universidades Blaise Pascal (Clermont-Ferrand), Oxford, Valencia e Santa Barbara (California). Co-dirigiu Biblos. Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa (1995-2005). É membro do Atomium Culture, organismo do Conselho da Europa para a Cultura. Foi Coordenador do Centro Interuniversitário de Estudos Camonianos (2005/2006) e do Centro de Literatura Portuguesa (2007/2012).

JORGE CRAVO 

Licenciatura em História e especialização em Ciências Documentais pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Bibliotecário na Biblioteca Municipal de Coimbra. Cultor da Canção de Coimbra. 

Discografia: canções d’aqui (1989), folha a folha (1999), canções d’inquietude (2005) e canções d’uma cidade e d’um rio (2010). Colaborou ainda em dois outros trabalhos discográficos: Baladas da Despedida – Anos 80 (1990) e Des(Encontros) (2016). 

Alguma bibliografia: «O fado de Coimbra não existe» in Rua Larga: revista da Reitoria da Universidade de Coimbra, nº 8 (Abril, 2005); A Canção de Coimbra em tempos de lutas estudantis (1961-1969). Coimbra: Minerva, 2009; José Afonso: da boémia coimbrã à fraternidade utópica (1940-1969). Coimbra: Câmara Municipal de Coimbra, Departamento de Cultura, Biblioteca Municipal, 2009; Luiz Goes: o neo-modernismo na Canção de Coimbra ou o advento da escola goesiana. Coimbra: Minerva, 2009; «Evocando Edmundo de Bettencourt nos 110 anos do seu nascimento», in Diário de Coimbra (6 e 7 Ago. 2009); «Como recriar a Canção de Coimbra», in Via Latina, nº 8, série VI (Mar. 2011); «Artur Paredes (1899-1980), o tom magistral na Guitarra de Coimbra», in Arquivo Coimbrão, vol. XLII. Coimbra: Biblioteca Municipal de Coimbra, 2012.

Manuel Portugal

Guitarrista, jornalista e Presidente da Associação Fado Hilário.

Manuel Alegre Duarte Moreira Portugal.
Nasceu em Coimbra, a 7 de Janeiro de 1971.
Filho de António Portugal, guitarrista, cresceu num ambiente profundamente marcado pelos grandes nomes da chamada Segunda Geração de Oiro da Canção de Coimbra.
Licenciado em Jornalismo pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, completou os estudos com uma Pós-Graduação em Gestão Turística e Hoteleira pela Escola Superior de Educação e Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra.
Foi Jornalista na RTP entre 1998 e 2016. É actualmente Presidente da Associação Fado Hilário, cujo trabalho se tem destacado na defesa da Classificação da Guitarra e da Canção de Coimbra como Património Imaterial da Humanidade.

Carlos Serra